Partidos políticos da oposição são-tomense manifestaram hoje solidariedade para com os três juízes do Supremo Tribunal de Justiça, exonerados por uma resolução parlamentar que consideram de “violação da lei e da constituição” e exortam para a reposição da normalidade constitucional, tal como afirmaram os representantes partidários.

Além das forças parlamentares, nomeadamente, o MLSTP-PSD, PCD e UDD, esta a iniciativa de solidariedade contou ainda com representantes dos partidos extra-parlamentares que decidiram esta manhã visitar o juíz presidente do Supremo, Silva Cravid e os seus pares, designadamente, Frederico da Glória e Alice Vera Cruz, alvos de exoneração sexta-feira por resolução parlamentar.

Em declarações a imprensa, Jorge Bom Jesus, em representação do maior partido da oposição MLSTP/PSD, disse que com esse gesto os partidos da oposição demarcam-se do ato grosseiro de violação constitucional verificado na assembleia nacional que não tomou em consideração o princípio da separação de poderes.

“Viemos manifestar a nossa solidariedade para com os juízes do Supremo e manifestar a nossa indignação por tudo quanto está passar no país” afirmou Arlindo Carvalho, presidente do PCD, tendo acusado o partido ADI de “manietar o poder judicial”, passando por cima da constituição e das leis”.

Carlos Neves, representante da coligação MDFM-UDD,  disse o seguinte: ” estamos aqui para manifestar a nossa solidariedade para com os juízes do Supremo porque está em causa a liberdade que conquistamos, não podemos tolerar que uma pessoa ou um partido venha destruir o nosso sistema democrático”.

A visita dos partidos da oposição às instalações do Supremo Tribunal aconteceu esta manhã no momento em que iniciava a greve dos serviços judiciais por parte da Associação Sindical dos Magistrados Judiciais, ASSIMAJUS, e da Comissão dos Trabalhadores Judiciais também em solidariedade para com os visados da resolução parlamentar de sexta-feira.

Publicidade