S. Tomé e Príncipe: Osvaldo Vaz apresenta-se ao Ministério Público e a 1.ª Comissão da AN dá luz verde para que Delfim Neves seja ouvido

0

Audição Judicial do Ministério Público ao Osvaldo Vaz, uma das figuras citadas no alegado caso de tentativa de corrupção no Tribunal Supremo de São Tomé e Príncipe foi adiada, – soube-se em São Tomé.

Vaz, ausente no país na semana passada, apresentou-se hoje, por volta das 9:40 TMG nas instalações da Procuradoria Geral da República acompanhado de dois advogados.

E minutos depois, um dos seus advogados Fernando Maquengo disse à STP-Press que o adiamento deveu-se  ao facto de Vaz “estar investido de Imunidade”, uma vez que é Deputado pela Bancada do MLSTP/PSD (partido na Oposição) na Assembleia Nacional (Parlamento).

Osvaldo Vaz, conjuntamente com Justino Veiga e Delfim Neves, é citado num alegado caso de corrupção compreendendo a tentativa de aliciamento do Juiz Presidente do Supremo Tribunal.

A polémica enquadra-se na eventualidade de se reabrir o processo que conduziu alienação da cervejeira “Rosema” do angolano “Mello Xavier” aos irmãos Monteiro de São Tomé e Príncipe.

Quanto ao Delfim Neves, a primeira comissão da Assembleia Nacional aprovou por unanimidade o parecer relativo a solicitação pedida pelo Ministério Público para que este fosse constituído e interrogado na qualidade de arguido.

Agora cabe a próxima reunião plenária dar o aval para que o deputado do PCD compareça no Ministério Público e responda ao possível envolvimento no caso rosema.

Delfim Neves é indiciado da prática de corrupção activa, fraude e abuso de confiança e branqueamento de capital.

Na nota do Ministério Público pode ler-se que “seja requerido à Assembleia Nacional, autorização para que o deputado Delfim Santiago das Neves, seja constituído e interrogado na qualidade de arguido”. Delfim Neves também votou a favor para que se agendasse essa discussão para a próxima reunião plenária.

 

Publicidade