São-Tomé e Príncipe e a Guiné-Equatorial retomaram conversações, visando, a comercialização e exploração conjunta de petróleo e gás, – anunciou o ministro equato-guineense das Minas e Hidrocarbonetos, Gabriel Obiang Lima recebido quinta-feira em São Tomé, pelo primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus.

Tendo-se encontrado também com o seu homologo são-tomense, Osvaldo Abreu, o ministro Gabriel Obiang Lima disse que “ estamos a abordar os aspetos relacionados com o sector de Petróleo e gás” na sua vertente de comercialização e exploração, tendo ainda sublinhado “a possibilidade de formação” dos quadros são-tomenses “no novo Instituto Tecnológico de Petróleo” da Guiné Equatorial.

O ministro equato-guineense, falou da possibilidade de São-Tomé e Príncipe numa comercialização conjunta do gás natural na sequência de um projecto lançado recentemente pelas autoridades de Guiné-Equatorial âmbito de exploração deste produto.

Na vertente da promoção petrolífera do arquipélago no mercado internacional, Gabriel Obiang Lima projeta a presença do arquipélago numa conferência internacional de petróleo a realização em outubro próximo em Malabo, a capital da Guiné-Equatorial.

A deslocação do ministro Gabriel Obiang Lima a São-Tomé acontece duas semanas depois de uma delegação ministerial são-tomense, composta pela ministra Elsa Pinto e ministro Osvaldo d’Abreu, ter visitado Guiné-Equatorial numa missão de reforço da cooperação bilateral.

Em Dezembro de 2018, o governo da Guiné Equatorial, chefiado pelo presidente Teodoro Obiang Nguema, manifestou a “disponibilidade para materializar” com São Tomé e Príncipe, a criação de uma empresa mista de exploração de petróleo no âmbito da existência de um bloco de petróleo localizado numa zona de sobreposição entre os dois Países.

Publicidade