“Olhando para o potencial que o nosso país possui nesta área, estamos perante um campo fértil para uma cooperação”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, José Pacheco.

O chefe da diplomacia moçambicana falava momentos após a assinatura de três memorandos de cooperação entre as delegações dos dois países na Presidência moçambicana em Maputo, no âmbito da visita que o chefe de Estado das Seicheles, Danny Faure, realiza a Moçambique.

“Logo que começar a exploração de gás em grande escala uma cota de gás vai ser exportado para o Seicheles”, disse José Pacheco, acrescentando que a área das pescas também vai ser uma prioridade na relação entre os dois países.

Danny Faure está em Moçambique para participar na conferência “Crescendo Azul”, quinta e sexta-feira, em Maputo, sob o lema “Exploração Sustentável e Compartilhada do Oceano”.

O evento, que será bienal, serve para Moçambique se juntar ao movimento global dinamizado pelas Nações Unidas para promover a concertação e partilha de conhecimento com vista à “conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos”.

A visita de Danny Faure a Maputo visa ainda aprofundar a cooperação entre Moçambique e Seicheles nas áreas de defesa e segurança, transportes e comunicações, recursos minerais e energia e turismo.

A República das Seicheles é constituída por 115 ilhas no oceano Índico e o turismo sustentável é uma das suas principais atividades económicas.

Publicidade