O conceito ‘sharenting’ mistura as palavras ‘parenting’ (o ato de criar uma criança) e ‘share’ (partilhar) e, em linhas gerais, pode ser resumido pela partilha de imagens ou descrições de atividades dos mais pequenos nas redes sociais. Os especialistas alertam que, de uma forma crescente, isto está a traduzir-se em crianças com presença digital ainda antes do meio ano de vida.

Um estudo feito pela empresa de segurança AVG aponta que, em Espanha, 23% das crianças tenha presença na Internet ainda antes de nascer. Como? Através da partilha de ecografias ou vídeos ainda durante a gravidez. Com o passar do tempo, a percentagem de crianças com presença digital aumenta: 81% estará online ainda antes de fazer seis meses.

E isto não está só ligado à partilha de imagens ou vídeos por parte dos pais, pode traduzir-se mesmo numa conta própria: 5% das crianças com menos de dois anos tem uma conta de email ou um perfil em alguma rede social, ainda antes de fazer dois anos de vida, pelo menos em Espanha.

Outro estudo, sobre o mesmo tema, vai mais longe, estimando que os pais partilhem cerca de 200 fotografias por ano, de crianças com menos de cinco anos. Ou seja, ainda antes de completar cinco anos de vida, uma criança pode ter mais de mil imagens disponíveis online.

Os especialistas citados pelo jornal espanhol El Mundo explicam que, mesmo que os pais tentem limitar o alcance das fotografias, usando um perfil privado nas redes sociais, há que ter algum cuidado na partilha das imagens, tendo sempre em mente a privacidade dos mais pequenos.

Publicidade