Discussões sobre tecnologia no setor financeiro, sobre o sistema tributário e a inclusão financeiro marcam o último dia de debates dos ministros de Finanças e presidentes dos Bancos Centrais do países do G20, que se reúnem neste domingo em Buenos Aires.

O encontro, que começou ontem em um centro cultural da capital da Argentina, terminará na tarde de hoje com uma visita do presidente do país, Mauricio Macri, que fará um breve discurso.

O ministro de Fazenda e Finanças da Argentina, Nicolás Dujovne, e o presidente do Banco Central do país, Luis Caputo, também concederão uma entrevista coletiva para informar sobre os principais avanços da reunião.

O encontro conta com a participação de 23 ministros, 14 presidentes de Bancos Centrais e 10 diretores de organizações internacionais, como a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde.

Ontem, a discussão focou nos riscos e oportunidades da economia global, com ênfase no futuro do trabalho e a infraestrutura para o desenvolvimento, temas prioritários para o governo da Argentina.

No entanto, outro tema que permeia a reunião é a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reforçar sua política protecionista mediante aplicação de tarifas.

Lagarde falou ontem sobre essa guerra comercial, reconhecendo que ela está sendo analisada no encontro. O objetivo é estudar o “impacto direto” das medidas americanas sobre a economia global.

Publicidade