A Sonangol, que comprou a participação de 25% que a brasileira Oi tinha na angolana Unitel, afirmou que esta operação tem “como objetivo principal permitir a estabilização e a normalização” da atividade daquela empresa.

A operadora brasileira Oi confirmou esta sexta-feira a venda dos 25% que detinha na angolana Unitel à petrolífera Sonangol por 1.000 milhões de dólares (903 milhões de euros, à taxa de câmbio atual), divulgou a sua acionista Pharol.

Esta aquisição pela Sonangol tem como objetivo principal permitir a estabilização e a normalização das atividades da Multitel e da Unitel, considerando, sobretudo, a importância estratégica desta última para Angola, na medida em que é a maior operadora de redes móveis no país, detendo uma quota de cerca de 80% do mercado de comunicações móveis e de dados, e é um dos maiores empregadores privados do país”, justifica a petrolífera angolana, em comunicado hoje divulgado.

“Esta aquisição pela Sonangol tem como objetivo principal permitir a estabilização e a normalização das atividades da Multitel e da Unitel, considerando, sobretudo, a importância estratégica desta última para Angola.”

Publicidade