Portugal: Sporting vence o Estoril por 2-1

0

Um início de jogo elétrico e um final de alta tensão. Eis o resumo da prestação do Sporting no encontro de ontem frente a um Estoril que fez gelar as bancadas do Estádio José Alvalade nos momentos derradeiros e colocou, inclusivamente, Jorge Jesus às palmadas à cobertura do banco de suplentes. Jogava-se o último minuto dos descontos concedidos pelo árbitro quando Pedro Monteiro fez chegar a bola ao fundo da baliza de Rui Patrício. Seria o 2-2, mas o vídeo-árbitro repôs a verdade desportiva após descortinar um fora de jogo milimétrico ao jogador do Estoril. A parte final do encontro, de resto, foi marcada pela assertividade do vídeo-árbitro. Momentos antes, também um golo foi anulado ao Sporting (marcado por Bas Dost) por fora de jogo de Piccini, no momento de fugir à defesa contrária. Dois juízos acertados. E quando é assim, tudo bem. Em termos de emoção, só o começo do jogo foi comparável ao seu fim. O Sporting entrou, como já se referiu, ligado à corrente. Aos 11 minutos já vencia por 2-0, cortesia da velocidade de Gelson e de uma obra de arte de Bruno Fernandes. Mas os golos precoces fizeram mal à saúde da exibição do Sporting. A equipa relaxou e adormeceu em cima do resultado. Baixou o ritmo ao ponto de deixar o Estoril regressar ao jogo. Curiosamente, foi depois de já retomado o controlo das operações que os canarinhos reduziram, com um grande golo de Lucas Evangelista. Alvalade tremeu. Um sobressalto que chegou ao relvado. Veio depois aquele final de alta tensão. Mas da refrega sai um leão que soma quatro vitórias em quatro jogos.

Publicidade