Os eventuais candidatos às presidenciais tinham até ao dia de hoje para entregar as suas candidaturas no Supremo Tribunal de Justiça, que terá a partir de quinta-feira 21 dias para ver se cumprem os requisitos.

Oito pessoas apresentaram candidaturas independentes às presidenciais, nomeadamente Aladje Djimo, Carlos Gomes Júnior (antigo primeiro-ministro guineense), Armando Adepdoc Có, José Mário Vaz (atual Presidente), Mutaro Intai Djabi, Nadeem dos Reis Cabral, Luís Nancassa e Nancy Schwartz, a única mulher.

Além das candidaturas independentes, o Supremo Tribunal de Justiça recebeu mais 11 apoiadas por partidos, nomeadamente Afonso Té (Partido Republicano da Independência para o Desenvolvimento, PRID), Baciro Dja (Frente Patriótica de Salvação Nacional, Frepasna), Domingos Simões Pereira (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde, PAIGC), Jorge Otinta (Partido da Ciência e Cidadania), Nuno Nabian (Assembleia do Povo – Partido Democrático da Guiné-Bissau, APU-PDGB), Idrissa Djaló (Partido de Unidade Nacional, PUN), Gabriel Fernando Indi (Partido Unido Social Democrático, PUSD), Vicente Fernandes (Partido da Convergência Democrática, PCD), Empossa Yé (Centro Democrático, CD), Mamadu Iaia Djaló (Partido para a Nova Democracia, PND) e Umaro Sissoco Embaló (Movimento de Alternância Democrática, Madem-G15).

A Guiné-Bissau realiza eleições presidenciais a 24 de novembro, a segunda volta do escrutínio, caso seja necessário, vai decorrer a 29 de dezembro.

A campanha eleitoral vai decorrer entre 01 e 22 de novembro.

Publicidade