A tecnologia portuguesa vai impulsionar as scooters elétricas de uma rede partilhada numa das maiores cidades do mundo e a maior da América do Sul: São Paulo, no Brasil.

O Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA) impulsionou os serviços da Riba Share, uma nova operadora de scooters partilhadas a operar na que é a maior cidade deste país lusófono.

A rede partilhada vai ter um total de 1.000 scooters elétricas a operar nas ruas paulistas até ao final do ano, com o objetivo de melhorar a mobilidade da cidade.

Este projeto vai ao encontro da estratégia de mobilidade sustentável do CEiiA e da sua aposta na internacionalização.  “Com um mês de operação, já temos mais de cinco mil utilizadores registados, um número acima das nossas expetativas se tivermos em conta que, no Brasil, é necessário tirar carta de mota para conduzir uma scooter”, conclui Carlos Almeida, diretor de estratégia do CEiiA, segundo comunicado divulgado esta quinta-feira.

A plataforma de mobilidade Mobi.me foi desenvolvida para responder ao desafio da integração dos vários serviços de mobilidade de uma cidade, com o objetivo de reduzir tempos, custos e melhorar a sustentabilidade da forma como nos movemos em contexto urbano. “A tecnologia do CEiiA inclui o modelo de conectividade e controlo colocado na scooter, que está ligada à plataforma mobi.me, e através do qual é transmitida informação variada em tempo real como a carga das baterias, a geolocalização, informação sobre se o capacete está ou não dentro da mala, etc.”, explica Carlos Almeida.

O CEiiA desenvolveu também a aplicação para telemóvel (disponível para iOS e Android) que faz de interface com o utilizador final, e que permite realizar operações como  a reserva,  a utilização e pagamento do serviço.

“Tendo acumulado experiência a trabalhar com grandes operadores mundiais, com a UBER e a eCooltra, a tecnologia do CEiiA foi desenvolvida pensando na segurança e conetividade”, acrescenta o responsável.

Publicidade