Os avisos surjem lado a lado no jornal estatal Notícias, principal publicação diária do país, e fazem referência ao “processo de fusão” que está em curso.

As empresas convidam “os credores e outras entidades que se julguem com direitos que devem ser acautelados durante este processo para uma reunião”, no dia 24 de outubro, em Maputo.

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, referiu em agosto que o conselho de administração das duas empresas tem até ao final do ano para apresentar uma proposta de fusão, que, nalguns aspetos, já se iniciou.

Mahomed Rafique Jusob foi nomeado há cerca de um ano como novo presidente de um conselho de administração unificado com o objetivo de fundir as duas firmas, tal como anunciado pelo governo em 2016.

A medida enquadra-se na reestruturação do setor público empresarial, face à situação financeira difícil em que a maioria das empresas públicas moçambicanas se encontra.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) tem apontado a necessidade de o Estado moçambicano rever a sua carteira de participações, no âmbito das medidas de controlo do défice público.

A reunião com credores está marcada para quarta-feira, dia 24 de outubro, às 09:00, nas instalações do Instituto de Formação das Telecomunicações de Moçambique.

Publicidade