A avaliação é feita num relatório semanal produzido pela equipa de observadores das organizações norte-americanas International Republican Institute (IRI) e USAID que estão a acompanhar as eleições legislativas antecipadas em Timor-Leste, marcadas para o próximo sábado.

Referindo-se ao ambiente eleitoral na última semana, o relatório, a que a Lusa teve acesso, sublinha que a situação se te mantido “pacífica”, com grandes multidões nos comícios e ações de campanha.

“Apesar da retórica calorosa dirigida aos seus oponentes, demonstraram empenho numa campanha ordenada e pacífica”, refere o relatório.

“Do ponto de vista de políticas, o foco tem estado na educação, energia, economia e infraestruturas”, sublinha-se no documento.

À semelhança do que tem ocorrido até agora, os observadores internacionais voltam a destacar o profissionalismo das equipas dos órgãos eleitorais, a Comissão Nacional de Eleições (CNE) e o Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE).

“Os órgãos de gestão eleitoral do país continuam vigilantes e dedicados, mantendo-se imparciais na sua observação das atividades partidárias e a continuar os preparativos para o dia das eleições”, consideram.

“Até ao momento ainda não houve queixas sérias apresentadas junto de qualquer dos organismos”, notam ainda.

A campanha tem decorrido sem incidentes de maior, com o STAE e a CNE a divulgar quase diariamente informação ampla sobre o processo, incluindo relatórios sobre ações de campanha dos partidos.

O período de campanha termina na quarta-feira e seguem-se-lhe dois dias de reflexão, em que muitos timorenses viajam para os locais onde estão recenseados.

As urnas abrem às 07:00 de sábado (23:00 de sexta-feira em Lisboa) e encerram às 15:00, devendo os primeiros resultados demorar várias horas a ser conhecidos.

Publicidade