“A OAM está a fazer um exercício interno” para que as eleições se realizem “num clima de tranquilidade”, disse hoje o bastonário da OAM, Flávio Menete, em conferência de imprensa, em Maputo.

As eleições tinham sido marcadas para sábado, para escolha de um novo bastonário e órgãos sociais, depois de terem estado previstas para 06 de abril, altura em que foram adiadas devido à falta de candidatos.

O Tribunal Administrativo deu provimento à queixa de André Júnior, candidato que tinha sido excluído por alegadas irregularidades, mas que contestou a decisão dos órgãos eleitorais da OAM.

O próximo bastonário da OAM vai suceder a Flávio Menete que está no cargo desde 2016 e que decidiu não se recandidatar a um segundo mandato.

O organismo foi criado em 14 de setembro de 1994 e já teve quatro bastonários, incluindo o atual.

A OAM foi criada após o exercício da advocacia ser legalizado, a seguir a vários anos de proibição imposta após a independência nacional em 1975.

Publicidade