O Tribunal de Díli absolveu hoje o ex-presidente do Parlamento Nacional, Vicente da Silva Guterres, e dois co-arguidos, da acusação de benefício económico num processo que remontava há mais de 10 anos.

A sentença foi lida hoje na sala principal de audiências do Tribunal de Díli, pondo final a um processo que chegou a envolver depoimentos dos ex-presidentes da República Xanana Gusmão e José Ramos-Horta, entre outras testemunhas.

Em causa está um processo de compra de viaturas para deputados timorenses.

Em dezembro, na sua audição, Xanana Gusmão – que na altura do caso era primeiro-ministro -, assumiu responsabilidade pela decisão de compra por ajuste direto de viaturas para deputados do Parlamento Nacional em 2008, pela urgência causada pelo atentado ao então chefe de Estado, José Ramos-Horta.

Vicente da Silva Guterres foi coarguido no caso com duas outras pessoas, Rui Amaral, à data secretário do Parlamento Nacional, e Francisco Guterres, então responsável de aprovisionamento do Ministério das Finanças.

Publicidade