A antiga diplomata Amélia Matos Sumbana é acusada pelo Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC) dos crimes de peculato, abuso de cargo e branqueamento de capitais, refere Pedro Nhatitima, porta-voz do TS, à edição de hoje do jornal Notícias.

Segundo a acusação, a embaixadora emitia cheques a seu favor com a justificação de que as verbas serviam para obras na residência oficial ou para serviço da missão diplomática e pedia reembolsos de viagens aéreas não efetuadas.

As verbas terão sido transferidas para Maputo e usadas para comprar um imóvel que Amélia Sumbana registou em nome de um parente.

Outros casos estão sob investigação envolvendo membros da diplomacia moçambicana.

A atual embaixadora de Moçambique em Angola já foi notificada pelo GCCC no âmbito da investigação por alegadamente ter recebido subornos de 100 milhões de meticais para favorecer empresas em contratos com a Segurança Social, em 2014, quando era ministra do Trabalho e, nessa qualidade, tutelava o setor.

Um outro processo envolvendo um membro da missão diplomática de Moçambique na Rússia encontra-se em tribunal a aguardar a redação do despacho de pronúncia, anunciou fonte do Tribunal Supremo.

Publicidade