“A Triton assinou um memorando de entendimento com a Qingdao Jinhui Grafite, que possibilita a execução de um acordo vinculativo no prazo de seis meses”, anunciou hoje a mineira australiana num comunicado aos investidores.

A Jinhui “é uma das maiores empresas de grafite da China com extensa experiência em mineração, processamento e vendas” e o memorando “reforça a ideia de que a mina de Ancuabe é um projeto de alta qualidade, de curto prazo, com grafite de grande floco e alta pureza, ideal para atender ao mercado chinês e a nível global”, acrescentou.

O conselho de administração da Triton aprovou em junho de 2018 o investimento em Ancuabe, província de Cabo Delgado, Norte de Moçambique, esperando que a nova mina entre em funcionamento este ano para produzir 60.000 toneladas anuais de concentrado de grafite, ao longo de 27 anos.

O empreendimento depende ainda da assinatura da concessão, por 25 anos, por parte do Ministério das Minas de Moçambique, referiu a Triton no documento de hoje, em que disse aos investidores que o processo decorre como previsto.

A procura por grafite está em alta a nível mundial por ser um componente usado em baterias, numa altura em que o mercado de automóveis movidos a eletricidade e outros produtos elétricos, como as aeronaves autónomas (drones), está em expansão.

Publicidade