O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, destacou que o desenvolvimento sustentável é “um dos maiores desafios” de Cabo Verde, apontando que o País deve continuar a trabalhar com resiliência para atingir esse desígnio.

Ulisses Correia e Silva fez esta declaração à Inforpress, no âmbito das comemorações do 45º aniversário da independência de Cabo Verde.

Na ocasião, o chefe do Governo disse que o 45º aniversário “representa muito” em “simbolismo e nova era” de uma Nação que quis e lutou pela independência.

“Representa um momento único e histórico do país, em que conquistamos a soberania e os destinos da condução do nosso País”, atestou, salientando o “sentimento de regozijo” sempre que se comemora esta data e marcá-lo como “momento muito especial”.

Segundo referiu, os desafios de Cabo Verde continuam a ser de desenvolvimento sustentável, lembrando que o País já passou por muitas fases, entre as quais o colonialismo, a abertura política e a consolidação da democracia.

“Passamos também por um período em que muitos cabo-verdianos emigraram por razões de sobrevivência e hoje temos uma diáspora que é um orgulho para a Nação cabo-verdiana e que contribui para o desenvolvimento do país”, sublinhou.

Recordou também a fase em que arquipélago, na década de 40, passou por um período de fome, mas que hoje este espectro é algo que “não afecta os cabo-verdianos”, pois “há segurança alimentar”.

“Tudo isto representa de facto um percurso de um arquipélago muito resiliente”, reiterou, sustentando que Cabo Verde como País de rendimento médio “aspira legitimamente” o desenvolvimento sustentável.

Por fim, deixou uma mensagem “de força” no sentido de todos fazerem “uma grande luta para atingir esse desígnio”, visto que o percurso do país “dá toda a garantia” de que se pode continuar a ter os “ingredientes necessários” para alcançar a estabilidade económica, social e política.

“É confiarmos nas nossas capacidades, nos cabo-verdianos e naquilo que podemos fazer, particularmente para superar esse período da covid-19 a e aspirarmos a esse desenvolvimento sustentável”, exprimiu.

Publicidade