A criação desta cátedra no Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras da ‘Università degli Studi di Milano’ (Universidade de Milão) surge “do interesse que esta instituição tem dedicado à língua e à cultura portuguesas e da estratégia do Camões, I.P. de apoiar o desenvolvimento de projetos de investigação e de ensino/formação que contribuam para a projeção do português enquanto língua global, para a produção de ciência em português e para a afirmação da cultura como eixo de desenvolvimento”, explica o Instituto Camões numa nota divulgada no seu portal na internet.

O programa de inauguração da cátedra prevê ainda a assinatura do Acordo de Cooperação entre a Universidade de Milão representada pelo seu reitor, Elio Franzini, e o Camões, I.P. representado pelo Embaixador de Portugal em Roma, Francisco Ribeiro Telles.

“Celebrando o contributo que António Lobo Antunes tem dado à literatura, à língua e à cultura portuguesas, a Cátedra ostentará o nome deste grande escritor português contemporâneo, autor de uma rica e vastíssima obra”, que estará presente na inauguração da cátedra e irá proferir uma lectio magistralis (aula de particular relevância e nível técnico).

Sob a direção de Vincenzo Russo, professor de Língua e Literaturas Portuguesa e Brasileira na UniMi, a Cátedra Lobo Antunes apresenta como linhas de investigação temas como ‘Na órbita de António Lobo Antunes’; ‘Dimensões da língua portuguesa em Itália’; ‘Colonialismo e pós-colonialismos’; ‘Pensamento Atlântico e história das ideias’; ‘História da receção de autores portugueses em Itália’, dedicando-se ainda à tradução de autores portugueses.
Esta é a 12ª cátedra criada pelo Camões, I.P. em universidades italianas.

Publicidade