O balanço foi feito, em Luanda, por Gaspar Sermão, da Direção Nacional de Mercados e Promoção da Comercialização do ministério angolano dos Recursos Minerais e Petróleo (MIREMPET).

Os principais destinos das exportações de petróleo bruto angolano foram a China (72%), a Espanha (6%) e a Índia (5%).

No último trimestre, a petrolífera estatal, Sonangol, e as companhias internacionais que produzem petróleo bruto angolano exportaram cerca de 117,2 milhões de barris que permitiram um encaixe financeiro de 7,7 mil milhões de dólares (7 mil milhões de euros). Comparativamente ao terceiro trimestre, registou-se uma diminuição nas quantidades exportadas de cerca de 158,2 mil barris e em relação ao período uma redução de 12,4 milhões de barris.

Ao longo do ano, a Sonangol comercializou mais de 172 milhões de barris que renderam cerca de 11,3 mil milhões de dólares (10,2 mil milhões de euros).

Falando sobre o desempenho da petrolífera estatal no quarto trimestre, o presidente da comissão executiva da Sonangol, Luís Manuel, assinalou que o “preço teve um comportamento volátil” tendo subido dez dólares (nove euros) no período em análise.

Um dos fatores que mais pesou na variação do preço foi o “otimismo” surgido no quarto trimestre quanto ao acordo comercial Estados Unidos/China.

Publicidade