A fabricante de telemóveis chinesa Xiaomi anunciou um investimento de 50 mil milhões de yuans (cerca de 6,4 mil milhões de euros) em Inteligência Artificia (IA), Internet das Coisas (IoT, sigla em inglês) e tecnologia para a rede móvel de quinta geração (5G) nos próximos cinco anos. O anúncio, divulgado esta quinta-feira nas redes sociais da empresa e citado pela agência “Reuters”, não adiantou mais detalhes sobre os investimentos.

“Precisamos de transformar a vantagem contínua que temos sobre IoT numa vitória absoluta”, explicou o cofundador da empresa Lei Jun. “Temos que consolidar por completo o nosso status de reis na era inteligente”, dsse.

O investimento anunciado aumenta a promessa da Xiaomi feita no ano passado de investir 10 mil milhões de yuans (aproximadamente 1,2 mil milhões de euros) ao longo de cinco anos como parte da estratégia “All in IoT“.

A empresa sediada em Pequim começou como uma fabricante de telemóveis a preços acessíveis, mas os seus produtos com acesso à Internet agora incluem televisões, colunas, relógios e até panelas de arroz inteligentes. No entanto, a Xiaomi também a forte concorrência no mercado doméstico da rival Huawei Technologies, que capturou um recorde de 42% do mercado chinês de smartphones no terceiro trimestre, às custas de outros fabricantes locais e da Apple.

Publicidade