Zetho Cunha Gonçalves recebeu como prémio de quinze mil euros. O concurso, lançado no início do ano, é uma iniciativa do Centro Cultural Português e Dstgroup. O evento inseriu-se nas festividades do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, assinalado na segunda-feira.

Visivelmente satisfeito por ter regressado a Angola depois de décadas ausente do país, Zetho Cunha Gonçalves afirmou ser o primeiro prémio que conquista ao longo dos 40 anos dedicados à literatura.

“Noite Vertical” chegou ao mercado em Abril de 2017, com a chancela da editora Língua Morta. Organizado em seis secções, “Coração Limite”, “Fragmentos da terra”, “Na pele do mar, os leopardos”, “De prodígios e ancestrais”, “Sobre a mesa da terra” e “Tributo”, o livro tem poesia escritas entre 1976 e 2017.

O secretário da União dos Escritores Angolanos (UEA), David Capelenguela, louvou a iniciativa do Camões – Centro Cultural Português por escolher a UEA para a realização da cerimónia da primeira edição do prémio.

Zetho Cunha Gonçalves nasceu no Huambo, a 1 de Julho de 1960. Vive em Lisboa e, é poeta, ensaísta, tradutor e autor de literatura infantil e juvenil.

Tem 14 livros de poesia, publicados e traduziu poemas de António Carvajal, Vicente Huidobro, William Carlos Williams, Joan Brossa e Djalal Ud Din Rumi. Editou obras de famosos autores portugueses, como Fernando Pessoa, Eça de Queiroz, Natália Correia e Mário Cesariny.

As suas obras estão traduzidas em alemão, chinês, espanhol, hebraico e italiano e colaborou em diversos jornais e revistas de Angola, Brasil, Moçambique, Itália, Macau, Espanha e Portugal.

Publicidade